30/07
Atividades, ações e eventos no Raízes

Temos falado bastante aqui no blog sobre a importância de agregar novos processos e formas de aprendizado ao conteúdo forte da nossa escola.

O Colégio Raízes já tinha esta proposta antes mesmo de utilizar os iPads em sala de aula. Nossa equipe sempre realizou ações, atividades e eventos na escola para tornar o ensino-aprendizagem um processo natural e divertido, fazendo com que os alunos construam seu conhecimento de diversas formas.

A gincana realizada no colégio é um exemplo disso. Por meio dos Desafios do Colégio Raízes (Decora), os alunos aprendem a se organizar, a ter responsabilidade e espírito de equipe, se tornam mais participativos e colaborativos.

Muitas provas trabalham o conteúdo do que está sendo visto em sala de aula. Nas tarefas os alunos também desenvolvem a coordenação motora e a agilidade física, tudo de forma muito divertida. Há provas que contam com a participação de pais e amigos.

Outro evento tradicional da escola que une todas as turmas, os pais e nossos colaboradores é a festa junina. Afinal, dia de festa também é dia de aprender, confraternizar, estreitar o relacionamento e fortalecer o contato com pais e alunos. A festa junina também é uma oportunidade dos alunos aprenderem mais sobre o folclore, nossa história e as origens de várias tradições que acontecem em todo o país.

Além do sarau e da feira de ciências, os alunos do ensino médio também organizam campeonatos interclasse na escola nas modalidades de futebol e vôlei. Todos os alunos participam e se divertem juntos e quem fica responsável pela organização do evento é o terceirão.

Tudo isso também contribui, e muito, para o desenvolvimento completo dos nossos alunos.

29/07
Aprendizado em todos os espaços da escola

No Colégio Raízes o conhecimento é construído em todos os espaços da escola. Na unidade do ensino médio, nossos alunos aprendem em todos os lugares, e não somente dentro da sala de aula.

Todas as salas estão equipadas com um projetor multimídia e Apple TV para que os professores possam utilizar os conteúdos armazenados nos iPads e deixar as aulas ainda mais dinâmicas e interessantes, aliando o conteúdo forte da escola aos recursos digitais, como vídeos, apresentações 3D, gráficos e aplicativos educativos.

A unidade também possui uma sala de estudos, onde os alunos costumam organizar leituras e estudos em grupos, e uma quadra coberta, onde rolam as aulas de educação física, os campeonatos interclasse e outras atividades, como as palestras do Bate-Papo no Raízes ou o sarau.

No pátio, as turmas desenvolvem atividades bacanas, como trabalhos artísticos, experiências, partidas de tênis de mesa, além das tarefas do Decora.

Ter um ambiente agradável, dentro ou fora da sala de aula, e preparado para o processo de ensino-aprendizagem é fundamental para que os alunos possam absorver todo o conhecimento por meio das aulas, das atividades, com os iPads ou com os livros. Afinal, o conhecimento deve ser construído em qualquer lugar, certo?

26/07
Aulas mais dinâmicas com o apoio do iPad

“O iPad como ferramenta auxiliar do professor em sala de aula cumpre um papel muito importante, uma vez que é altamente motivador e atrai a atenção dos alunos”.

A avaliação é da professora e coordenadora Vera, que, assim como toda a equipe de professores do Colégio Raízes, desde o começo deste ano letivo conta com o tablet para dar todas as aulas.

Como já mostramos aqui no blog, esta mudança começou antes mesmo do início das aulas, no I Encontro de Capacitação no Brasil do Sistema Uno Internacional – parceiro do Raízes – onde os professores receberam informações sobre o uso do conteúdo digital em classe e suporte tecnológico para os iPads.

O tablet substituiu os livros didáticos dos professores. Agora, eles utilizam o equipamento para dar as aulas, pois é nele que ficam armazenadas as informações que o professor precisa.

Por oferecer uma quantidade de funções muito grande para a relação ensino-aprendizado, o iPad é também uma ferramenta de apoio, ajudando na diversificação das formas de ensinar e contribuindo bastante na interação entre aluno e professor por meio de aplicativos pedagógicos.

Outro ponto destacado pela professora Vera é que as aulas estão mais dinâmicas. “O principal benefício foi a dinamização das aulas complementada pela ótima distribuição do tempo em sala de aula. Tenho utilizado bastante o iPad com a Sequência Didática que se encaixa muito bem no início ou no término de uma unidade de ensino”.

25/07
Atitude Renovada para a Matemática

A utilização de ferramentas tecnológicas em sala de aula é apenas um ponto da proposta do Colégio Raízes para melhorar, cada vez mais, o conteúdo forte da escola.

Para contribuir para a formação dos nossos alunos enquanto cidadãos do mundo, devemos acompanhar a evolução da educação e agregar novos processos de aprendizado também, como foi mostrado no Congresso Visão XXUNO, realizado pelos parceiros do Sistema Uno Internacional no mês de abril, em Orlando, e do qual participamos.

Uma das novidades, que será aplicada a partir de 2014, é o programa Atitude Renovada para a Matemática (ARM).

A ideia do ARM é fazer com que os alunos aprendam e usem a matemática para solucionar os problemas da vida, por meio de exercícios, práticas e atividades que auxiliem na concretização do pensamento abstrato e também com um sistema de jogos e desafios que vai permitir aos professores descobrir os pontos fortes e as habilidades dos alunos.

Outro ponto bacana em relação ao ensino de disciplinas da área de exatas, e no qual o Raízes já saiu na frente, é o resultado de um estudo recente da Unesp (Universidade Estadual Paulista).

A pesquisa apontou que, em comparação aos conteúdos trabalhados de forma expositiva em sala de aula, o uso de ferramentas tecnológicas educativas melhora em 32% o rendimento dos alunos em matemática e física.

O Raízes está dando atenção à criação do conhecimento por meio de recursos que ajudam a inovar as aulas, mas sem se esquecer da importância dos processos de aprendizado e do conteúdo, que é fundamental.

24/07
Raízes nos meios digitais

O Colégio Raízes sempre teve a preocupação de buscar coisas novas e evoluir cada vez mais para acompanhar as mudanças, não só da educação, mas também do mundo.

Por isso, antes mesmo da utilização dos iPads em sala de aula, o colégio buscou ferramentas do meio digital para estreitar o relacionamento com pais, alunos e colaboradores e contribuir para a construção do conhecimento também na internet.

Desde 2010, quando o Raízes reformulou seu site, a escola conta com uma página no Facebook e dois blogs – o Raízes da Serra, destinado à educação infantil e ao ensino fundamental, e o blog Ensino Médio, para os alunos da unidade do centro.

Além disso, o colégio também conta com um canal no YouTube, onde são publicados vídeos de atividades realizadas nas unidades e trabalhos dos alunos, e um perfil no Flickr, com fotos que mostram ações, eventos e a rotina dos alunos na escola.

Ao centralizar as informações do colégio nestes canais, passamos a divulgar com mais dinamismo as atividades realizadas com os alunos, aumentamos a interação com nosso público e também reduzimos a quantidade de papel utilizado nos comunicados enviados aos pais.

Por meio destes espaços virtuais, pais, alunos e colaboradores ficam por dentro das notícias, informações, comunicados e tudo o que acontece no colégio.

Outro ponto importante é que a escola passou a participar de um espaço onde cada vez mais os jovens estão presentes: as redes sociais digitais. Nelas, podemos promover ações para interagir com nossos alunos, como as provas virtuais do Decora, ou mesmo o evento de boas-vindas realizado com os alunos do ensino médio no início do ano.

23/07
Certificação Toefl no Raízes

O Colégio Raízes iniciou a implantação do sistema bilíngue em 2013. Neste ano, os alunos da educação infantil e do ensino fundamental I (até o 5º ano) passaram a ter aulas de inglês três vezes por semana.

A partir do próximo ano, serão cinco aulas semanais de inglês para as turmas do infantil e do fundamental I e o sistema bilíngue também será implantado no ensino fundamental II, mas as novidades em relação ao ensino do inglês não param por aí.

A cada final de ciclo – ou seja, no 5º e no 9º ano do fundamental e no 3º ano do ensino médio – os alunos do Raízes farão o Toefl (Test of English as a Foreign Language, ou Teste de Inglês como Língua Estrangeira) para avaliar seu potencial em falar e entender inglês de acordo com o nível de cada turma.

O Toefl é fundamental para quem quer fazer um curso universitário fora do Brasil. Ele indica quanto o estudante domina o inglês em nível acadêmico. Mais de 2.400 instituições de ensino dos Estados Unidos e do Canadá exigem a certificação como requisito de admissão em seus cursos.

O certificado também é aceito em mais de 6 mil instituições de ensino em 180 países e pode ser um diferencial no currículo de profissionais que buscam vagas em multinacionais instaladas no país, em órgãos governamentais, programas de bolsa de estudos a até programas de mestrado e doutorado de algumas universidades brasileiras.

Com o sistema bilíngue e o Toefl, nossos estudantes aprendem desde pequenos e de forma natural um segundo idioma e também enriquecem seus currículos com uma certificação reconhecida internacionalmente, facilitando seu ingresso em estágios, processos seletivos e instituições estrangeiras.

22/07
Lexium e Avalia

Além da capacitação periódica da equipe, avaliações regulares também são muito importantes para que possamos melhorar cada vez mais o ensino do Colégio Raízes.

Isso porque o resultado de uma avaliação ajuda a identificar quais são os pontos fortes do nosso processo de ensino-aprendizagem e o que precisa ser melhorado.

Graças à parceria com o Sistema Uno Internacional, contamos com duas avaliações periódicas. Uma delas já foi realizada em abril com todas as turmas do fundamental: a Lexium.

Esta avaliação faz o Diagnóstico de Per­fil e Potencial de Aprendizagem (DPPA). Uma vez por ano, os alunos respondem a um questionário, que verifica as habilidades de aprendizagem dos estudantes, ou seja, de que forma cada um deles aprende melhor e o que precisa ser desenvolvido.

A Lexium avalia habilidades intelectuais, preferência de aprendizagem, técnicas e hábitos de estudo. Com estas informações, é possível melhorar ainda mais as competências de aprendizagem dos nossos estudantes.

Há também a Avalia, dividida em duas partes e aplicada aos alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental. Na primeira parte, é feita uma avaliação institucional e, na segunda, um teste de habilidades de leitura e matemática. Esta avaliação será aplicada no segundo semestre.

19/07
O Homem de Aço

Mais do que ser um filme sobre super-herói, “O Homem de Aço” fala sobre as escolhas que fazemos na vida e suas consequências.

Taí mais uma dica bacana do professor Fabio, de Geografia, para quem quiser curtir um filme nesta sexta-feira.

O Home de Aço

Um novo marco na existência de um, senão, o mais popular dentre todos os heróis das histórias em quadrinhos.

O filme “O Home de Aço” (Mano f Steel) sobre a origem do Super-Homem, lançado em 12 de julho sob a batuta do diretor Zack Snyder e do produtor-roterista Christopher Nolan, nos traz uma nova referência para entendermos a complexidade do ser mais poderoso da Terra (considerando o universo da DC Comics).

O filme traz O Último Filho de Krypton (Henry Cavill) numa busca pela sua identidade como humano e alienígena. Um dilema profundo e constante devido, por um lado, a descoberta de seus poderes e, por outro, a moral e ética que vai moldando o caráter de Clark Kent/Kal-El.

Neste último aspecto, a influência dos pais Jonathan Kent e Jor-El são fundamentais e ajuda tanto aos fãs veteranos a verem um lado angustiante e conflituoso do Super, quanto à nova geração a perceber que escolhas nos levam a dois possíveis caminhos: ou nos tornamos o que escolhemos ser, ou seremos o que decidiram por nós.

Este é o fio condutor de toda a trama: escolhas que fazemos e suas consequências. Snyder e Nolan decidiram mostrar um Super-Homem não simplesmente bom porque é um escoteiro, mas porque escolheu fazer o certo de acordo com a ética e moral que quis seguir. Neste sentido, o desfecho da história, apesar de controverso para alguns, faz muito sentido pela forma como a trama se desenvolve.

Ainda sobre este fato, compreendemos melhor o general Zod (Michael Shannon) que, saindo do maniqueísmo do bem contra o mal, não pode ser simplesmente resumido a um vilão. Existem mais elementos que criaram tanto o protagonista Super-Homem quanto seu antagonista.

E por falar em personagens, foi uma excelente escalação: Russell Crowe (Jor-El) e Ayelet Zurer (Lara Lor-Van), os pais kryptonianos; e Diane Lane e Kevin Costner como Martha e Jonathan Kent, os pais terrestres. Laurence Fishburne (Perry White) e Amy Adams (Lois Lane) fechando os personagens tradicionais que são como o chamariz para a produção. No entanto, os personagens de contexto como coronel Hardy, vivido por Christopher Meloni, roubam a cena quando aparecem.

Um destaque na trama é a origem e a natureza da relação entre Lois e Clark. Sem a intenção de colocar um spoiler aqui, atrevo-me a desvendar esta relação da seguinte maneira: um par de óculos não pode esconder uma identidade (que meu amigo Gilson Lorenti não me escute).

Em suma, é uma história de autodescoberta e da importância de escolher o seu caráter e destino. É feito todo com uma atuação incrível, além de excelente fotografia, efeitos especiais e trilha sonora marcante, feita pelo talentoso Hans Zimmer.

Valeu mesmo a pena manter a história em sigilo durante a filmagem e divulgação, realmente é um bom recomeço desde a primeira adaptação para a telona em 1978 estrelada por Christopher Reeve e cultuada até hoje. Lembro-me até hoje da frase usada no trailer: “você sentirá a emoção de voar”. E devo dizer que o intento atingiu seu objetivo. Bom filme!

18/07
Simulados

Os alunos do ensino médio participam periodicamente de simulados no Raízes. As provas são muito bacanas para que os estudantes conheçam seus pontos fortes e fracos, descubram dificuldades e saibam o que precisam estudar mais.

O simulado também é um momento bacana para o aluno aprender a controlar o tempo em que faz prova e quanto deve se dedicar a cada questão, ver quais disciplinas ele tem mais dificuldade e discutir as questões com os professores.

Para quem está no terceirão, os simulados são fundamentais nos estudos para o vestibular, pois a prova serve como um treino.

Assim os alunos começam a treinar seus conhecimentos e também se ligam em questões importantes, como ser pontual, administrar o tempo da prova, preencher corretamente o cartão-resposta e se familiarizar com o estilo dos processos seletivos, já que eles variam de um vestibular para outro.