28/02
É carnaval!

No Raízes, a folia começou mais cedo, com o trote de carnaval. Teve de tudo um pouco nesta sexta-feira (28), das fantasias mais comuns até as mais elaboradas. O que não faltou para ninguém foi a animação.

Aproveitando, pessoal, sabemos que já está todo mundo pronto para continuar na folia, mas antes, temos um recado importante: as aulas só retornarão na próxima quinta-feira (6), ok?

A secretaria também estará fechada até esta data.

Aproveitem bastante o carnaval!!!

E as fotos do trote do Carnaval já estão no Flickr. É só clicar aqui para vê-las.

27/02
Matemática na literatura

A dica da professora Renata, de matemática, é para quem adora ler e também para os que gostam de matemática. Não é necessário gostar dos dois ao mesmo tempo, mas as sugestões de livros que ela mandou para o blog certamente despertarão o interesse de vocês.

O primeiro livro mescla a história da matemática com uma história fictícia muito bacana. O Teorema do Papagaio é uma obra literária de ficção da autoria de Denis Guedj, publicada na França em 1998. O livro faz pensar em como a matemática surgiu, pois ele trata, além de tudo, da história da matemática, e não apenas de fórmulas célebres, mas de origens desconhecidas. Além de mostrar como ela pode ser ensinada de uma maneira muito diferente das utilizadas no sistema de ensino de todo o mundo, o autor escreve ao estilo de O Mundo de Sofia.

Sinopse – O Teorema do Papagaio
Este livro é um suspense matemático-policial. Ou policial-matemático. A história tem início em Paris, quando o menino Max resgata um papagaio sequestrado por gângsteres, no mercado das pulgas. Ao mesmo tempo, o Sr. Ruche, dono da livraria As Mil e Uma Folhas, recebe uma carta de um amigo há muito desaparecido. Postada em Manaus, a carta lhe avisa que ele receberá uma remessa surpreendente: a maior biblioteca de matemática do mundo.

Por que um papagaio despertaria o interesse de mafiosos? O que ele guarda na memória? Por que o amigo do Sr. Ruche quer se desfazer de uma biblioteca tão preciosa? Para armar e desarmar essas duas tramas paralelas, o matemático Denis Guedj, professor na Universidade Paris VIII, lança mão de toda a história da matemática, desde a antiguidade até os nossos dias. Resultado: a matemática vira literatura e a literatura vira matemática, num jogo em que o leitor (ou o aluno) sempre vence.

O segundo livro nos leva a refletir sobre como é a vida dos matemáticos, que abrem mão de tudo (família, amigos, etc.) para se dedicar a grandes descobertas em prol do conhecimento.

Tio Petros e a Conjectura de Goldbach do autor australiano, mas criado na Grécia, Apostolos Doxiadis, é um romance de leitura fácil que apresenta um panorama fascinante da Teoria dos Números e permite entender por que razão os números primos, que não têm padrão aparente de sucessão ou distribuição, sempre intrigaram os matemáticos. O livro tem como objetivo permitir perceber o que é preciso para se fazer matemática, todo o prazer que está envolvido nos momentos de contemplação, mas também todas as dificuldades, e inclusivamente perigos que recheiam o caminho daqueles que se aventuram na criação matemática.

Sinopse – Tio Petros e a Conjectura de Goldbach
Em 1742, na correspondência entre Christian Goldbach e o famoso matemático suíço Leonhard Euler, foi formulada a questão: todo número inteiro par maior que 2 pode ser representado como a soma de dois números primos. Hoje, mais 250 anos depois, a Conjectura de Goldbach tornou-se um dos problemas mais intrigantes da Matemática. Mesmo já tendo sido testada empiricamente até 10, ninguém jamais conseguiu provar que a afirmação é válida para todos os números inteiros maiores que 2 – e, recentemente, até um prêmio de 1 milhão de dólares foi oferecido a quem for capaz de demonstrá-la. Este romance é a história de Petros Papachristos, um homem que dedicou sua vida a desafiar o enigma.

1ª exposição de projetos

Todo mundo lembra que 2014 será um ano cheio de projetos? Não? Caso não se recorde, clique aqui que a gente ajuda a refrescar a sua memória. Mas enfim, estamos falando disso porque nesta quinta-feira (27) teve início a 1ª Exposição de Projetos do ensino médio.

Inclusive, os trabalhos podem ser visitados por pais e amigos dos alunos até esta sexta-feira (28). O horário para a visitação é das 8 às 17 horas, aqui no Raízes.

O trabalho foi desenvolvido de maneira interdisciplinar entre os professores de artes e filosofia/sociologia. Como já havíamos contado, o tema foi referências da Grécia antiga e a ideia do homem na sociedade moderna.

Os materiais produzidos foram utilizados para decorar a nova sala do Raízes, chamada de Relax.

Os fotos já estão no nosso Flickr. Clique aqui para vê-las!

 

26/02
Toefl é conquista do terceirão

Vocês conhecem um ditado que diz: “conversando a gente se entende”?

Foi mais ou menos assim que o Raízes vai, a partir deste ano, aplicar o exame Toefl (Test of English as a Foreign Language, ou Teste de Inglês como Língua Estrangeira) para os alunos do 3º ano. O exame foi uma reivindicação da turma, e a direção do Raízes achou que deveria ser atendida.

A prova será aplicada no final do ano, em data ainda a ser definida.

O Toefl é obrigatório em mais de 2,4 mil instituições de ensino dos Estados Unidos e do Canadá. Ao todo, a certificação é aceita em mais de 6 mil instituições de ensino em 180 países. O bacana deste exame é que ele indica quanto o estudante domina o inglês em nível acadêmico e pode ser feito por pessoas que estão em diferentes níveis.

Além disso, para quem está terminando o ensino médio, a certificação ajuda, e muito, na hora de conseguir um estágio ou uma colocação profissional no mercado de trabalho.

Parabéns ao terceirão!!!

25/02
Avaliação vai preparar alunos para o vestibular

A partir deste ano, o Raízes tem algumas novidades em relação às avaliações mensais. O principal objetivo é construir um sistema avaliativo propício para a melhoria do desempenho escolar.

A professora Vera explica melhor todas as mudanças:

“Esse novo instrumento de avaliação é a PROVA INTEGRADA, que pretende melhorar a qualidade do ensino oferecido. Trata-se de uma avaliação interdisciplinar, que procura atender às novas exigências educativas e do mercado de trabalho, com o objetivo de construir o conhecimento de maneira articulada.

Como a PROVA INTEGRADA será elaborada?
Será composta de 70 questões em forma de múltipla escolha que envolverão conhecimentos das diversas disciplinas. Cada disciplina avaliará o conteúdo trabalhado com 5 questões.

Quando a PROVA INTEGRADA ocorrerá?
Será em março, maio, agosto e outubro, como avaliação mensal.

Quanto valerá a PROVA INTEGRADA?
Ela valerá 8,0 (oito pontos) na nota mensal. Cada disciplina avaliará separadamente as 5 questões por ela formulada. Assim, ainda que a prova seja interdisciplinar, a nota será dada por disciplina.

Qual será a duração da PROVA INTEGRADA?
Terá a duração de 4 horas.

Quais os benefícios da PROVA INTEGRADA para os alunos?
Como as questões são elaboradas nos moldes dos vestibulares e ENEM, a PROVA INTEGRADA é uma ferramenta bastante positiva para a preparação do aluno, ampliando sua possibilidade de sucesso nessas provas, e os professores terão mais tempo para trabalharem os conteúdos de suas disciplinas.

Como será composta a NOTA MENSAL?
A nota mensal será composta por:

Prova Integrada com valor de 8,0 pontos
Atividades com valor de 2,0 pontos distribuídos em: 0,5 – participação em simulado; 1,5 – trabalhos feitos em casa.

Como as PROVAS BIMESTRAIS serão elaboradas?
As PROVAS BIMESTRAIS serão totalmente discursivas com valor de 10,0 pontos.

24/02
Geração de energia

Um dos assuntos mais comentados nos últimos dias é a geração de energia no Brasil. Seja pelo preço ou possibilidades de problemas por um consumo muito alto, o tema está presente na maior parte do noticiário e, possivelmente, é um daqueles assuntos de atualidades que serão discutidos no Enem e nos principais vestibulares do País.

E a colaboração da professora Flaviana, de Física, é exatamente sobre a energia hidrelétrica. Olha só o texto que ela enviou para o blog:

A energia hidrelétrica é a obtenção de energia elétrica através do aproveitamento do potencial hidráulico de um rio. Para que esse processo seja feito é necessária a construção de usinas em rios que possuam elevado volume de água e que apresentem desníveis em seu curso.

A força da água em movimento é conhecida como energia potencial. Essa água passa por tubulações da usina com muita força e velocidade, movimentando as turbinas. Nesse processo, ocorre a transformação de energia potencial (energia da água) em energia mecânica (movimento das turbinas). As turbinas em movimento estão conectadas a um gerador, que é responsável pela transformação da energia mecânica em energia elétrica.

Responsáveis pela maior parte da energia elétrica que movimenta o Brasil, as usinas hidrelétricas são a vocação natural do País no âmbito da geração de energia.

21/02
Atividade de biologia

Nem sempre o conteúdo de determinada disciplina precisa ficar restrito à sala de aula e ao livro didático, não é mesmo? Por isso, no Raízes, nossos professores sempre são estimulados e incentivados a procurar formas diferentes e atraentes de ensinar aos alunos.

E foi exatamente isso que a professora Camila, de biologia, fez com a turma do 1º A. Para falar sobre as características dos seres vivos, ela propôs uma atividade de integração.

Os estudantes aprenderam sobre a composição química, organização celular, reação e movimento de crescimento e produção, hereditariedade e variabilidade genética, mutação, seleção natural e adaptação.

Com essa atividade em grupo, os alunos puderam perceber e entender o conteúdo de forma lúdica e divertida.

As fotos da atividade estão no nosso Flickr. Clique aqui para ver.

20/02
Numerologia, você conhece?

Desta vez, a colaboração para o blog vem da professora Maria Inês, de matemática. Ela contou um pouco sobre a numerologia.

A numerologia é um estudo antigo do significado dos números, calculados com base em uma data, nome ou em ambos simultaneamente. Por meio da tabela abaixo, utilizando o valor numérico correspondente a cada letra, você poderá interpretar o significado do nome que escolher. A numerologia cabalística está associada às letras hebraicas e, consequentemente, às cartas do Tarô.

Para descobrir a influência do nome, primeiro some os valores correspondentes de cada letra. Qualquer resultado, cuja soma dos números represente um valor superior a 22, deve ser desdobrado, e assim sucessivamente até obter um resultado igual ou inferior a 9.

Os valores de cada letra do alfabeto são os seguintes:

Nesta contagem das letras dos nomes, os sinais ortográficos, como acento, til, apóstrofo etc não são levados em consideração.

Veja um exemplo:

Nome: Terra 
T=100 
E= 5 
R= 80 
R= 80 
A= 1

Somando: 100 + 5 + 80 + 80 + 1 = 266

Como o número é superior a 22, desdobre-o somando: 2 + 6 + 6 = 14

Desdobra-se novamente, ou seja: 1 + 4 = 5 (Liberdade)

Você também pode fazer a numerologia para analisar o nome de uma empresa, utilizando o nome “fantasia”. É possível ainda descobrir o seu número regente. Some o resultado do dia, mês e ano em que você nasceu, lembrando-se que é necessário transformá-lo em apenas um dígito, igual ou inferior ao número 9.

Exemplo: uma pessoa nascida no dia 15/09/1970, por exemplo: 1 + 5 + 9 + 1 + 9 + 7 + 0 = 32 = 3 + 2 = 5 (Liberdade).

Após fazer este cálculo com a sua data de nascimento, procure suas características, de acordo com o resultado obtido. Em seguida ao número, está sua palavra-chave:

INDIVIDUALIDADE – Pioneirismo, originalidade, criatividade, honestidade, ambição, determinação e pouca convencionalidade. Quem nasce sob a regência deste número é um líder e não um seguidor, saindo-se melhor com seu próprio negócio, gerente ou diretor. Procura levar uma vida bastante ativa. Deve tomar cuidado com as vibrações negativas de egoísmo, presunção ou preguiça.

COOPERAÇÃO – Desenvolve melhor o trabalho em grupos ou em sociedade. Quem está sob a influência deste número, precisa do apoio de amigos e familiares. É sociável, gentil e tem muita consideração pelas pessoas. Por isso, deve tomar cuidado para não se transformar em “capacho”. Requintado, tem enorme bom gosto. Aprecia ficar em casa, na companhia dos amigos. Pode parecer tímido à primeira vista; mas é apenas uma maneira de proteger-se. Procure seguir sua intuição e tome cuidado com as vibrações negativas da timidez, do medo de aceitar riscos e da depreciação de si mesmo.

AGRADÁVEL – A Felicidade, criatividade, versatilidade, energia, intelectualidade e otimismo, fazem parte do significado deste número. Líder, tem o dom da palavra e grande capacidade de expressão. Também é amistoso, refinado, e gosta das coisas caras. Tem sempre ideias novas, conseguindo resolver todos os problemas com facilidade. Deve tomar cuidado com as vibrações negativas da impaciência, excesso de crítica, ciúmes e fofocas.

ORGANIZAÇÃO E PRÁTICA – Honestidade, sinceridade, seriedade, dignidade, paciência e consciência. Quem está sob a regência deste número, assume todas as responsabilidades e acaba sendo requisitado para dar aos outros, proteção e apoio. Gosta de ordem e regularidade, tanto no lar quanto em seu ambiente de trabalho. Deve tomar cuidado com as vibrações negativas do autoritarismo, com a tendência a criticar demais, a mania de trabalho e desejar tudo à sua maneira.

LIBERDADE – Você gosta de ser livre para ir e vir. É ativo, inquieto, gosta de variedade, fazendo muitas coisas ao mesmo tempo. Pode ser intransigente em relação às leis e à ordem. Não gosta da rotina e se fascina com o que é novo. Cuidado com as vibrações negativas de indulgência com sua própria sensualidade (incluindo bebidas, droga e sexo) e irresponsabilidade.

RESPONSABILIDADE – Você nasceu para dar conselhos, fazer o bem para as pessoas e, por isso, ajuda a todos sempre que se faz necessário. Gosta que seu ambiente seja pacífico, harmonioso e confortável. É compreensivo, justo e promove a paz. Tende a ser cego aos defeitos daqueles a quem ama. Cuidado com as vibrações negativas de intromissão, insensibilidade e orgulho.

SABEDORIA – Paciência, equilíbrio e intuição representam este número. Repleto de mistério para aqueles que o cercam. Seu lema é a busca da verdade: estuda, analisa e quer provar fatos desconhecidos. Aprecia a leitura e conhecimentos gerais. Seus amigos são poucos, mas criteriosamente escolhidos. Cuidado com as vibrações negativas de melancolia, reserva, distanciamento e preguiça.

CONQUISTA – Não é fácil ter este número como regência. O sucesso vem por meio do conhecimento. É preciso muita determinação para se obter a vitória material. Tem consciência de que tem que trabalhar duro para o bem de todos. Por ser uma pessoa grandiosa, é atraída para grandes negócios. Cuidado com as vibrações negativas de abuso do poder, avareza e extravagância.

INSPIRAÇÃO – Todos esperam muito de você. É tolerante, compreensivo, inspira confiança e é um ótimo conselheiro. Fica desapontado quando as pessoas não alcançam a perfeição que espera delas. Durante a vida, passará por muitas experiências reveladoras. Cuidado com as vibrações negativas de indelicadeza, falta de ética e vacilação.

19/02
Conhecendo os professores

Nossa série sobre cada um dos professores continua hoje com a Renata, de matemática. Conheçam um pouco mais sobre ela:

Nome: Renata Garcia dos Santos Barbosa

Formação: licenciatura em matemática

Quanto tempo está no Raízes?: entrou este ano

O que acha do Raízes?: “Percebi ser uma escola muito preocupada em deixar os alunos satisfeitos e à vontade no ambiente escolar”.

Por que gosta de dar aula?: “Gosto de passar o conhecimento e interagir com os alunos”.

Conte uma curiosidade sobre você (hobby, atividade . . .): “Adoro danças, assistir filmes e estar com a família”.

18/02
Jogos Vorazes: a franquia

Em mais uma colaboração para o blog, o professor Fábio, de Geografia, enviou uma resenha sobre um filme que vocês provavelmente já assistiram: Jogos Vorazes! Deem uma olhada no texto publicado originalmente no site Omelete:

Os fãs frequentemente reclamam quando estúdios e mídia tentam vender novas franquias como “a mania que vai substituir Crepúsculo”, ou “o próximo Harry Potter”. A comparação, porém, é lógica no que diz respeito à estrutura. A máquina hollywoodiana sabe embalar apenas determinados tipos de produtos – daí certos filmes, que não se enquadram muito bem em gêneros conhecidos, terem dificuldade de execução e distribuição – e qualquer adaptação de grande orçamento de obra infanto-juvenil, como é o caso de Jogos Vorazes (The Hunger Games), cairá nos processos conhecidos da indústria, desejosa do próximo grande sucesso de bilheteria.

A comparação é injusta, no entanto, quando analisamos o conteúdo de obras tão distintas. De todas essas grandes franquias recentes, a adaptação das duas primeiras partes (Jogos Vorazes e Jogos Vorazes Em Chamas) da trilogia literária de Suzanne Collins é a que tem conteúdo mais contestador, com inspirações em grandes obras distópicas como Admirável Mundo Novo, 1984 e, nos próximos lançamentos (Jogos Vorazes A Esperança, partes 1 e 2) até Fahreinheit 451. Discussões sobre a autoridade, culto a celebridades, obediência, poder e controle estão em pauta na história que se passa nas ruínas futuristas da América do Norte, dividida em uma capital e 12 distritos.

Na trama, depois de uma tentativa de revolução, décadas antes, a Capital passou a exigir de cada distrito um tributo na forma de dois jovens – um garoto e uma garota – entre 12 e 18 anos, para competir no reality show de sobrevivência que dá nome ao filme. Eles devem enfrentar outros 22 concorrentes até a morte, em uma arena controlada pelo governo. O vencedor garante para seu distrito um bônus em suprimentos e regalias pelo próximo ano. A trama acompanha uma dessas jovens, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), adolescente de 16 anos que se oferece para lutar no lugar da irmã, sorteada pelo distrito.

Ainda que guarde semelhanças também com Battel Royale, filme hiperviolento japonês – mais especificamente a batalha entre jovens até a morte -, a adaptação de Jogos Vorazes (que, diferentemente do livro, abandona o foco exclusivo em Katniss e revela os bastidores do controle governamental) distancia-se de qualquer comparação recente pelos questionamentos e por não usar o espetáculo como fetiche. Afinal, não é empolgante ver o embate dos jovens na arena, mesmo que alguns deles, os mais aptos, tenham se oferecido para estar ali e desejem as glórias do combate. Os oponentes de Katniss, assim, não são os demais competidores, mas as forças por trás dos jogos.

O diretor Gary Ross (Jogos Vorazes) opta até por um estilo de câmera e edição nas cenas de ação que se desvia elegantemente da barbárie, dando vislumbres dela, mas tirando das cenas o impacto gráfico que poderia torná-las fetichistas (e, obviamente, tornam o filme comercialmente viável em termos de classificação indicativa). Com o sucesso do primeiro filme, o orçamento da série dobrou – e os 140 milhões de dólares que Jogos Vorazes – Em Chamas custou são bastante perceptíveis em tela. A sequência, agora dirigida por Francis Lawrence, enche os olhos e é mais elaborada em todos os sentidos, mas não é a pirotecnia o que chama a atenção.

No centro de tudo, Jennifer Lawrence está à altura do desafio. Depois de excelentes atuações em filmes como X-Men Primeira Classe, Inverno da Alma e Like Crazy (infelizmente ainda inédito por aqui), a atriz traz Katniss à vida com o equilíbrio perfeito de fragilidade e determinação. E ela está cercada por ótimos nomes, como Stanley Tucci, Wes Bentley, Woody Harrelson, Toby Jones, Elizabeth Banks e Donald Sutherland, além do excelente Philip Seymour Hoffman que nos deixou recentemente.

Em suma, já torci muito o nariz para essas literaturas infanto-juvenis do naipe de Crepúsculo e Percy Jackson, por conta do conteúdo sem sentido ou qualquer contribuição para a juventude que alimenta uma indústria que só quer lucrar com a alienação. Mas, no caso de Jogos Vorazes, é uma obra que está infelizmente um pouco além do público que vai ao cinema atrás das formas prefeitas dos personagens e temo que não consigam enxergar o abuso de poder, de direitos e deveres do Estado, de sacrifícios pessoais, “pão e circo” e o papel do cidadão, lê-se por aí comentários do tipo “como seria legal viver em Panem”, prova do estado da capacidade de raciocínio crítico de uma fração desta geração. Mas eu sempre tenho esperança. Bom Filme!