17/09
A Língua de Eulália

a lingua eulaliaPara auxiliar os alunos a compreenderem a questão da variação linguística, a Prô de gramática deu uma importante dica de leitura, que fará com que os alunos ampliem a sua biblioteca cultural e estimulem uma visão crítica sobre as diferenças de linguagem.

Nossa tradição educacional sempre negou a existência de uma pluralidade de normas linguísticas dentro do universo da língua portuguesa; a própria escola não reconhece que a norma padrão culta é apenas uma das muitas variedades possíveis no uso do português e rejeita de forma intolerante qualquer manifestação linguística diferente, tratando muitas vezes os alunos como ‘deficientes linguísticos’.

Marcos Bagno argumenta que falar diferente não é falar errado e o que pode parecer erro no português não-padrão tem uma explicação lógica, científica (linguística, histórica, sociológica, psicológica).

Para explicar essa problemática, o autor reúne então n’A LÍNGUA DE EULÁLIA as universitárias Vera, Sílvia e a esperta Emília, que vão passar as férias na chácara da professora Irene.

Sempre muito dedicada, Irene se reúne todos os dias com as três professoras do curso primário, transformando suas férias numa espécie de atualização pedagógica, em que as ‘alunas’ reciclam seus conhecimentos linguísticos.

Mais do que isso, Irene acaba criando um apoio para que as ‘meninas’ passem a encarar de uma nova maneira as variedades não-padrão da língua portuguesa.

A novela flui em diálogos deliciosamente informativos. A LÍNGUA DE EULÁLIA trata a sociolinguística como ela deve ser tratada: com seriedade, mas sem sisudez.

12/09
Palestra com Chef Fábio Watanabe

IMG-20180911-WA0026O Empreendedorismo é uma prática cada vez mais valorizada pelos brasileiros. A habilidade de propor novas soluções para o mercado vem recebendo incentivo para ser desenvolvida, principalmente entre os jovens.

Uma das principais características do jovem que se encaixa no perfil empreendedor é a proatividade.

Pensando nisso, os alunos do Colégio tiveram uma palestra com o Chef Fábio Watanabe do Caqui Bistrô em Mogi das Cruzes, ele orientou os alunos sobre a profissão gastronômica e ainda sobre o perfil empreendedor dos jovens nos dias de hoje.

Ele compartilhou suas experiências com alunos, que puderam conhecer mais sobre essa profissão tão crescente no Brasil.

10/09
Propriedades da Tabela Periódica

IMG-20180909-WA0008Para compreender de forma mais eficaz os elementos presentes na tabela periódica, os alunos fizeram uma análise detalhada da tabela em duas partes:

A primeira etapa foi a construção da tabela periódica realizado pelos alunos, para melhor compreensão e familiarização dos elementos químicos  e seus símbolos.

Os alunos criaram algumas frases interessantes como : Eu Te AmO ( sequência dos símbolos dos elementos Europio, Telúrio, Américo e Oxigênio).

A segunda etapa foi um jogo de conhecimentos relacionado a quantidade  de camadas e os elétrons contidos na última camada, que foi realizado como uma gincana com agilidade e rapidez.

Uma atividade bastante interessante, onde os alunos puderam conhecer afundo a tabela periódica e ainda exercitar o raciocínio lógico.

05/09
El Marketing y el consumo

IMG-20180904-WA0017 IMG-20180904-WA0018De nada adianta ter um setor de marketing eficiente, se esta não é a principal questão para a melhoria nos negócios. O assunto, vai muito além de mandar pesquisar ou adotar uma caixinha de sugestões, o ato de saber o que o cliente pensa, passa pelo entendimento da utilização do nosso sistema sensorial.

Somamos a isto o entendimento e conhecimento à cerca do comportamento do consumidor – do público alvo escolhido.

Com base nessa discussão entre marketing e consumidor, a aula de espanhol rendeu importantes reflexões sobre o tema.

Em grupos, os alunos discutiram conceitos importantes de consumo, consumidor, valores e mercado, tudo isso utilizando a Língua Espanhola.

Palestra

IMG-20180901-WA0002 IMG-20180901-WA0001Na última semana, a turma de Atualidades do Colégio Raízes, recebeu a professora Mestra Fernanda Araújo Patrocínio, uma especialista no assunto, reconhecida pela Faculdade Cásper Líbero e pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Nesse encontro, a professora explorou traços socioculturais que sustentam a estrutura do racismo no Brasil contemporâneo e alguns reflexos nas relações humanas mundo afora  e expôs dados que apoiam esse impacto na estrutura social brasileira.