Chegamos ao Podium:3º lugar dos textos mais lidos: O jogo da queimada

E no ranking com o 3º lugar dos textos mais lidos no nosso blog, vamos rever sobre o jogo da queimada e como ela é divertida.

Um jogo simples de brincar, mas que exige estratégia, que desenvolve muitas habilidades físicas e é superdivertido. Assim é a queimada, atividade trabalhada nas aulas de educação física com as turminhas do 2º ao 5º ano.

25743970751_4958ed1388 queimadaNa queimada, os jogadores são divididos em duas equipes. Cada uma ocupa metade de um espaço, separado por uma linha. Quem estiver com a bola em mãos precisa atingir membros do time rival, que só são queimados se a bola tocar alguma parte do corpo deles e cair no chão.

Se eles conseguem agarrá-la, estão salvos. Se são queimados, vão para o fundo do campo adversário. Dali, tentam atingir os oponentes com a bola. Vence a equipe que queimar todos os adversários primeiro.

Por meio desta atividade, os alunos trabalharam tempo de reação, agilidade e velocidade. Eles também melhoraram seu desempenho cardiorrespiratório, a resistência muscular, força e flexibilidade. As fotos da queimada estão no Flickr do Raízes e podem ser vistas clicando aqui.

Como os alimentos chegam em nossa mesa! Confira o 4ºlugar dos textos mais lidos

Você já pensou “de onde vêm os alimentos que comemos?”, “como eles chegam até aqui?”. Em 4º lugar dos textos mais lidos, vamos conferir o caminho que os alimentos fazem para chegar até a nossa mesa.

O professor de história, nos mandou essa dica super legal sobre o assunto.

aliemntosAlguns alimentos industrializados nos dão a informação por meio dos rótulos. Mas, há muitos anos, não existia a industrialização e nossos antepassados precisavam plantar e caçar para se alimentar, além de consumir o que a natureza oferecia, como frutas, sementes e raízes.

À medida que o tempo foi passando, nossos antepassados viram que onde caía uma semente ou um fruto, nascia uma plantinha. A partir dali, eles observaram que poderiam plantar as sementes e um tempo depois colher os seus frutos.

Atualmente essa prática não é mais comum, e quem vive nas grandes cidades não sabe como os alimentos chegam aos supermercados e feiras. As verduras, legumes e frutas costumam ser cultivados longe de nossas casas em grandes plantações, cujo objetivo é produzir para vender. Assim como também acontece com carnes e grãos.

Para que esses alimentos cheguem efetivamente em nossas mesas, é preciso que a produção passe por carretos. Os caminhões que fazem o transporte costumam rodar o país inteiro, já que cada região do Brasil é forte na produção de um alimento.

28/07
A experiência termoquímica-5º lugar dos textos mais lidos

Conferimos em 5º lugar dos mais lidos no blog, duas experiências termoquímicas, onde os alunos conferiram na prática sobre os estudos da transferência do calor em uma reação química.

( Texto originalmente publicado em 08/05/2012- Experiência reação termo química)

Nem sempre é fácil sacar logo de cara as inúmeras fórmulas que temos de aprender na sala de aula, em qualquer disciplina ligada à área de exatas. Nessas horas, nada melhor do que ver como as coisas funcionam na prática.

Pensando nisso, a professora Audrey, de Química, fez duas experiências relacionadas à termoquímica na aula desta terça-feira (8) com o pessoal do 2º ano. Ela contou aqui para o blog que, assim, fica mais fácil de entender os estudos sobre transferência de calor em uma reação química, tão falados em sala de aula.

Na primeira prática, os alunos colocaram o sulfato de cobre pentahidratado, uma substância de cor azul, no tubo de ensaio e o aqueceram. Eles puderam observar que, graças ao calor, a água presente no sulfato evaporou e que houve uma mudança na cor da substância.

termoquimica

Dessa reação foi formado outro produto, o sulfato de cobre anidro. A professora Audrey explicou que isso aconteceu devido à reação endotérmica, quando ocorre a absorção de calor.

Na segunda prática, os alunos observaram o processo inverso, por meio da reação exotérmica. Eles adicionaram água ao sulfato de cobre anidro, provocando uma reação que liberou energia e tornou o tubo de ensaio extremamente quente, evidenciando a energia perdida.

qumica termoquimica

26/07
Feliz Dia dos Avós!

Post_Dia dos Avos_Raizes Serra-01 (2)

Avós!

Guardam no olhar e na pele as marcas de toda uma vida. Guardam em si uma infinidade de conhecimentos que nos transmitem, é com eles que aprendemos. Aprenderam a lidar com as “feridas” de uma forma admirável. Dão-se intensamente em cada dia… Devolver-lhes o amor é o mínimo que podemos fazer.

Parabéns a todos os avós!

6º lugar-A química por trás do filme” O óleo de Lorenzo”

Vamos conferir em 7º lugar dos textos mais lidos a relação entre a química e o amor entre uma família, que desenvolvem uma fórmula para salvar a vida do filho.

( Texto originalmente publicado em 06/05/2014- A química por trás do filme “O óleo de Lorenzo”)

oleo de lorenzo

Há casos da ciência que são tão interessantes que acabam virando filme. É o caso da história dos italianos Augusto e Michaela Odone, que desenvolveram uma mistura dos ácidos oleico e erúcico para tratar a adrenoleucodistrofia (ALD), doença que atingiu o filho do casal, Lorenzo Odone.

A ALD é uma doença que afeta o sistema nervoso e provoca a perda de mielina. Sem esta substância, o doente para de se mover, ouvir, falar e respirar. Lorenzo foi diagnosticado aos 5 anos e os médicos informaram os pais que ele viveria no máximo por mais três anos.

No entanto, o casal correu atrás de informações e acabou por desenvolver o óleo que proporcionou ao filho viver até os 30 anos. A história toda vocês podem conhecer assistindo ao filme “O Óleo de Lorenzo”, indicação muito bacana do professor Junior.

Além de contar uma história real muito bonita, o filme mostra como ocorre o processo de pesquisa científica, explica como ocorre a doença, seu processo bioquímico e como os pais chegaram até a substância.

24/07
Metáforas do filme “O carteiro e o poeta”- 7º lugar dos textos mais lidos

Vamos conferir em 7º lugar dos textos mais lidos uma reflexão sobre as relações de amizade estabelecidas entre as pessoas.

(Texto originalmente publicado em 02/07/2014-As metáforas do filme “O carteiro e o poeta”)

Sabe quando tiramos uma palavra do seu contexto para explicar o sentido de alguma outra coisa? Isso é uma metáfora. Por exemplo: “O furacão rugia, expressando sua fúria”. De fato, furacão não fala, mas pode ser tão furioso como um animal, certo?

O Carteiro E O Poeta - outraA metáfora é uma das mais famosas figuras de linguagem e é muito utilizada na literatura, tanto na prosa quando na poesia. A professora Vera deu um exemplo muito bacana disso na arte .

O filme mostra a relação de amizade entre o poeta chileno Pablo Neruda e um carteiro italiano. É muito bonito e vale a pena ser assistido!

21/07
8º lugar dos textos mais lidos: A torcida mexicana na copa

16603934 mexicana

Em 8º lugar dos textos mais lidos, podemos relembrar sobre o grito da torcida mexicana na Copa de 2014,e conhecer sobre essa cultura tão diferente.

A torcida do México tem chamado atenção nos jogos da Copa.No jogo da primeira fase contra o Brasil, muito se falou sobre as cores, as músicas e a animação dos mexicanos, que, acreditam alguns, fizeram a diferença na disposição da sua seleção.

Já no jogo contra Camarões, também na primeira rodada, surgiu uma polêmica: a torcida foi acusada de manifestações homofóbicas devido a um dos seus gritos de guerra mais tradicionais.

É que antes das cobranças de tiro de meta do goleiro adversário, os mexicanos gritam em coro: “ehhhhhhhhhhhhh puto”. A Fifa acabou absolvendo a Associação Mexicana de Futebol, por considerar que o grito, dentro do contexto do futebol, não é considerado um insulto.

O goleiro Alfredo Talavera, um dos reservas do México, inclusive declarou que “puto” vem de “putozin” que, na língua nativa Nahuatl, significa “desejo que ele dê um chute horrível”. Mas será que é isso mesmo ou o “portero” mexicano deu uma trollada nos jornalistas.

Bom, ninguém melhor do que o professor Roberto Carlos, que dá aulas de espanhol no Raízes e é mexicano, para explicar a origem desta tradição futebolística.

Ele indicou a leitura do artigo da jornalista Yuriria Sierra, que escreve para o portal Excelsior, do blog colaborativo Esto y Aquello e do site Fanbolero, que apresentam diferentes visões sobre a origem do grito da torcida e suas repercussões.

E vocês, o que acham sobre a torcida mexicana?