26/03
Método SUPERA

logo-supera-ginastica-cerebralSUPERA é um curso diferente de tudo que você já conhece. Com apenas uma aula semanal de duas horas, você conquista uma mente saudável, com mais concentração, raciocínio, memória, criatividade e autoestima. Estas habilidades melhoram o desempenho na escola, alavancam a carreira e garantem mais qualidade de vida. Encare este desafio e experimente uma forma incrível de viver. A metodologia não tem limite de idade: todo mundo pode viver esta emoção.

Aos alunos do Colégio, pais, responsáveis e parentes diretos, um desconto diferenciado:

a) 30% de desconto na matrícula e 15% de desconto na mensalidade (podendo o desconto ser maior em função do número de participantes da mesma família)

b) O material pode ser dividido em 8 vezes

c) A economia de mais de R$ 1000,00* com a parceria entre o Colégio Raízes e o Supera ( *valor acumulado em descontos durante o curso)

Para mais informações ligar para : 4725.3398

02/03
Aula Invertida com literatura

Processed with MOLDIV Processed with MOLDIV“A literatura nos permite viver num mundo onde as regras inflexíveis da vida real podem ser quebradas, onde nos libertamos do cárcere do tempo e do espaço, onde podemos cometer excessos sem castigo e desfrutar de uma soberania sem limites.” (Mário Vargas Llosa)

Definimos literatura então, como tudo que pode ser lido, e tido como a arte das palavras. É aquilo que desperta a imaginação do leitor e lhe provoca emoções reais, sentimentais ou  lógicas.

Literatura é a arte que usa a palavra como matéria-prima.A boa literatura é aquela que transmite adequadamente o que procura transmitir. O raso ou o profundo dependem do leitor.

Pensando nisso a professora propôs aos alunos do 2º ano uma aula invertida, onde eles fizeram pesquisas e elaboraram um trabalho o qual apresentaram aos demais colegas sobre o Romantismo Brasileiro.

O 3º ano, apresentou seu trabalho sobre o pré-modernismo e seus autores.

Interessante não é? A aula invertida proporciona autonomia aos alunos, pois eles criam e transmitem o conteúdo estudado a partir do seu ponto de vista, com a mediação do professor, tornando-se protagonista do ensino-aprendizagem.

22/01
Comunicado sobre a Reunião Pedagógica

Comunicamos aos senhores pais que no dia 29/01 às 9h na Unidade da Serra haverá nossa primeira reunião pedagógica, onde discutiremos assuntos relevantes para o ano letivo.

Lembramos ainda que os pais são responsáveis pelos filhos durante a reunião.

 

29/10
Fotos da Feira de Ciências

A galera do ensino médio e do fundamental II do Raízes mostrou todo seu conhecimento científico na III Feira de Ciência, que rolou nesta quarta-feira (29), na unidade do centro.

Feira de Ciências 2014Nossos alunos apresentarem experiências envolvendo conceitos da física, química, biologia e matemática para pais, estudantes e amigos que participaram do evento.

Quem não pode ver de perto pode dar uma olhadinha nas fotos que tiramos e já estão disponíveis do Flickr, clicando aqui.

03/07
Fotos da peneira

A peneira para a Copa 30 Anni rolou nesta quinta-feira (3) na unidade da serra. Muitos alunos participaram e mandaram bem na seletiva para montar as equipes que vão representar o Raízes no torneio em comemoração aos 30 anos do Colégio Dante Alighieri, na Argentina.

O professor Washington observou o desempenho dos alunos nas modalidades de vôlei e futebol para fazer a seleção. Em breve, o colégio irá divulgar o nome dos escolhidos, certo?

As fotos da peneira já estão no Flickr do Raízes e podem ser vistas clicando aqui. Obrigado a todos os alunos que participaram!

01/07
Treinos para a Copa 30 Anni

A participação do Raízes na Copa 30 Anni, evento organizado pelo Colégio Dante Alighieri na Argentina para comemorar seus 30 anos, já está movimentando a galera.

Algumas alunas que querem integrar a equipe sub-14 de vôlei já estão treinando na quadra da unidade da serra, já que nesta quinta (3) teremos a peneira para definir os times.

Quem quiser utilizar as duas quadras da escola – na unidade do ensino médio ou na serra – para se preparar também é só ligar para as secretarias do colégio e agendar um horário, certo?

O torneio será na sede do Colégio Dante Alighieri, em Campana, dos dias 3 a 9 de setembro de 2014, e vai envolver as seguintes modalidades:

- Voleibol feminino – equipe de 6 pessoas – sub 14 (13 e 14 anos), sub 16 (15 e 16 anos) e sub 18 (17 e 18 anos);

- Futebol masculino – equipe de 7 pessoas – sub 14 (13 e 14 anos), sub 16 (15 e 16 anos) e sub 18 (17 e 18 anos).

Vemos vocês na peneira!

25/10
Fotos da Feira de Ciências do Colégio Raízes

Do maternal ao terceirão, nossos alunos apresentaram experiências muito criativas na II Feira de Ciências do Colégio Raízes. Mais uma vez, contamos com a participação de muitas pessoas, entre elas pais e amigos, que prestigiaram os trabalhos e compartilharam muito conhecimento com as turmas.

Os alunos do infantil mostraram que tamanho não é documento quando o assunto é ciência. Os grupos formados em cada sala explicaram com bastante desenvoltura todos os experimentos, inclusive tirando dúvidas.

A Veruska Ferreira, mão do aluno Adrian, do 4º ano, afirmou que é notável a evolução dos estudantes com relação à edição do ano passado da feira.

“As experiências deste ano estão mais relacionadas com o dia a dia dos alunos, o que mostra que eles estão entendendo e aplicando os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Além disso, os estudantes estão muito mais seguros ao se expressar”. Ela também destacou a interação de todas as turmas, inclusive as do ensino médio. “Assim, todos aprendem juntos”.

A Patrícia Rossi, mãe do Guilherme, do 1º ano, falou sobre a importância da feira para o desenvolvimento dos alunos. “Adorei a iniciativa do colégio! A feira contribui para o conhecimento dos pequenos e também para que eles comecem a ter responsabilidades com relação aos estudos. O Gui estava superansioso para apresentar o trabalho, pois ele ficou muito envolvido”.

Quem também aprovou o evento foi o Claudio Nonaka, pai da Larissa, do 1º ano. “É a primeira vez que participo da Feira de Ciências do Raízes e gostei muito dos trabalhos. Este envolvimento dos alunos é ótimo para o desenvolvimento deles. Os estudantes aprimoram seus conhecimentos e compartilham o que aprendem”.

Para Luciana e Alexandre Pinheiro, pais do Gustavo, do 3º ano do fundamental, outro ponto importante da feira foi a oportunidade dos alunos se expressarem em público. “Eles se saíram muito bem neste desafio”, contou Luciana. “As turmas mostraram que sabem trabalhar em equipe e de forma integrada”, destacou Alexandre.

A Alexsandra Regina do Nascimento Rodrigues, mãe dos alunos João Vitor, do 4º ano, e Gabrielli, do 8º ano, também considerou a Feira de Ciências uma iniciativa muito positiva. “Por meio destas experiências práticas, o aprendizado acontece com mais facilidade. Gostei muito dos trabalhos que vi”.

O casal José Antonio Vettore e Teresa Vettore, avós das alunas Silvia, do 6º ano, e Ana Lucia, do 3º ano do fundamental, curtiu a explicação das turmas mais novas e a qualidade dos trabalhos das turmas mais velhas.

“Deu para perceber que todos se dedicaram e que estavam focados no experimento que escolheram. Acredito que isto é resultado do trabalho da equipe do colégio e também da vontade de aprender dos alunos”, destacou Teresa.

Já Antonio afirmou que ações como a feira colocam as crianças e os jovens numa situação de aprendizado cada vez maior. “Aprender coisas novas de um jeito divertido só dá vontade de aprender mais. Que pena que na minha época de colégio não tinha estas coisas”.

Quem quiser ver ou rever os trabalhos da II Feira de Ciências do Colégio Raízes, é só dar uma passadinha no nosso Flickr, clicando aqui.

Parabéns a todos os envolvidos na feira!

19/03
Entrevista com a coach Sheila Kiss

As mudanças propostas com a parceria do Colégio Raízes e o Sistema Uno Internacional já começaram.

Nossos professores estão cada vez mais familiarizados com os iPads e, neste mês, os alunos darão início às atividades com os tablets.

Também iniciamos a implantação do sistema bilíngue, com o aumento da carga de aulas para os alunos da educação infantil e do ensino fundamental I.

A cada dia aprendemos novas formas de auxiliar o aluno na construção de seus conhecimentos por meio de interações entre todos na sala de aula, o que só aumenta a vontade de toda a equipe de melhorar cada vez mais.

Para nos auxiliar com todas estas mudanças, periodicamente recebemos a visita da coach educacional Sheila Kiss Sgambatti, do Uno Internacional. Além de tirar dúvidas, ela se reúne com os professores, coordenadores e a direção da escola para trocar informações e experiências.

Batemos um papo com ela para falar sobre todas estas novidades. Olha só!

Há muito tempo se fala sobre a importância do uso das tecnologias na escola. Neste sentido, o que o iPad agrega no processo de ensino-aprendizado em sala de aula?
Ele facilita este processo. Antes, o professor precisava de notebook e projetor ou levar os alunos à sala de informática para que todos participassem desta imersão tecnológica na escola. O iPad otimiza o tempo, pois ele é uma ferramenta que armazena toda a informação que o professor precisa, que auxilia na diversificação das formas de ensinar. Outra facilidade é que o tablet oferece uma quantidade de funções muito grande para a relação ensino-aprendizado, ajudando na interação entre aluno e professor por meio de aplicativos pedagógicos.

Este é um dos diferenciais do novo sistema?
A proposta do Uno Internacional é promover a interação na escola para a construção do conhecimento e o iPad é apenas uma das ferramentas utilizadas neste processo. Esta é uma das formas que encontramos de fazer com que os alunos sejam mais participativos, independentemente do tablet estar na mão deles ou não. Quando o professor projeta um vídeo ou animação para complementar sua aula, o aluno se sente dentro do mundo dele, a turma percebe que o professor e a escola não estão defasados e que falam a sua língua. O ganho no aprendizado é muito grande. A tecnologia permite que as crianças e os jovens descubram um novo mundo também em sala de aula.

De que forma os professores devem se preparar para esta mudança?
Temos um cronograma de trabalho, que envolve professores, coordenadores e a gestão escolar, para que todos fiquem bem alinhados, e que teve início com o congresso de capacitação em janeiro. A partir disso, os coaches irão periodicamente às escolas, não só para sanar dúvidas sobre o iPad ou a plataforma do Uno, mas principalmente para discutirmos as possibilidades das ferramentas, trocar dicas de aplicativos, dividir experiências.

Existe uma estratégia para aplicar estas mudanças na escola da melhor forma?
A melhor maneira é apresentar as novidades por etapas. Todos precisam entender que o iPad é uma ferramenta que faz parte de uma estratégia para buscar o interesse do aluno, torná-lo mais participativo e, consequentemente, fazer com que todos sejam protagonistas na construção do conhecimento. Para isso, o professor deve estar muito confiante com a ferramenta antes que ela passe para as mãos do aluno. Numa terceira fase será apresentado o portal aos alunos, que também oferece interação entre professor e estudante. É preciso haver esse preparo progressivo para que o processo seja eficiente.

E quando o iPad deve ser usado pelos alunos?
A partir do momento em que o professor se sente seguro com a ferramenta, o iPad pode ser usado sempre que ele achar necessário, sempre que tiver uma atividade que considere que deva ser desenvolvida desta forma, principalmente para promover maior interatividade com os alunos. É importante também que a turma entenda que o tablet é uma ferramenta educacional. Os professores estão sendo orientados neste sentido. Por meio da troca de experiências, cada um vai identificando a melhor maneira de trabalhar com o iPad.

Quais outros diferenciais o sistema propõe?
A proposta não é simplesmente inserir o iPad em sala de aula. Queremos uma mudança na forma de ensinar, na forma como o aluno aprende e na forma como ele é avaliado. A transformação é bem maior, por isso implantamos um sistema que avalia as competências e habilidades do aluno para o futuro. Isso também esbarra no bilinguismo, pois quanto mais cedo a criança tem contado com a língua, melhor será este processo. Enfim, estamos preparando cidadãos para o mundo.