16/08
Sopa de letras

WhatsApp Image 2017-08-09 at 12.36.45 (1)-espanholO professor de espanhol propôs uma aula para que os alunos desenvolvessem habilidades orais e a pronúncia na Língua Espanhola, a fim de enriquecer o vocabulário.

Em grupo os alunos são sensibilizados  a enfrentar a atividade como uma competição.

Com tempo limite cada grupo precisou completar palavras e frases de acordo com o material recebido. Ganha quem terminar primeiro; depois cada um explica a estratégia usada na brincadeira para estabelecer qual foi a melhor.

Ao fim da atividade trabalha-se oralmente a pronúncia e os significados.

Além de estimular os alunos a falarem a língua espanhola, essa atividade proporcionou a eles habilidades como administração de tempo, trabalho em equipe e desenvolvimento interpessoal.

WhatsApp Image 2017-08-09 at 12.36.45

07/08
O campeão 1º lugar dos textos mais lidos: Aprendendo a fazer o jogo cara a cara

O campeão entre os textos mais lidos do nosso blog, vamos aprender e nos divertir com o jogo cara a cara.

Alguns jogos clássicos são tão divertidos que voltam a ser fabricados, mesmo que com uma cara diferente.

Um deles é o Cara a Cara, jogo de adivinhação muito bacana para treinar a capacidade de dedução e memória dos jogadores, principalmente de crianças a partir dos 6 anos.

Imagem 010 cara a cara

Nesse joguinho de dupla, é preciso adivinhar de quem é a cara que o adversário esconde. A Priscila Okino, do grupo Muriquinhos – que faz experiências e pesquisas de brinquedos e brincadeiras ecológicas –, ensinou lá no blog do grupo como fazer esse jogo em casa.

Como a gente sabe que os alunos do Raízes adoram fazer seus próprios brinquedos reaproveitando materiais – tanto que nesta sexta-feira alguns trabalhos feitos com a prô Jéssica, da Educação Ambiental, estão expostos na escola – aqui vai mais uma ideia de diversão.

Vocês vão precisar de duas caixas de papelão de 30 cm x 20 cm, facilmente encontradas em supermercados; duas caixinhas de sabonete; 40 tampinhas de suco de caixinha; cola instantânea; papel-cartão; tinta guache; pincel; tesoura sem ponta; 40 imagens pequenas de “pessoinhas” e 40 imagens grandes (elas devem ser iguais).

Primeiro vocês terão de pintar as caixas e colar as figurinhas pequenas nas tampinhas (20 para cada jogador). Depois, colem as tampinhas em cada caixa de papelão e numerem os personagens na abertura de cada tampinha (de 1 a 20, sem repetir). Em seguida, recortem o papel-cartão, formando 20 cartas. Em cada uma delas, colem uma das figuras grandes e escrevam o mesmo número que está na figura igual pequena.

cara_a_cara

Para brincar, cada jogador sorteia um cartão grande. Depois, os dois se alternam com perguntas sobre como é a “pessoinha” do outro, por exemplo: “usa óculos?”, “tem barba?”, “é mulher?”. Só vale responder “sim” ou “não” e ganha quem descobrir primeiro o personagem do outro.

O passo a passo vocês também podem ver no blog do Muriquinhos, neste link aqui, onde há fotos mostrando cada etapa, ou no site da Folhinha, neste link aqui, por meio de uma animação bem bacana.

04/08
2º lugar no ranking dos textos mais lidos: Não poluir a água

Em 2º lugar dos textos mais lidos, vamos conferir dicas importantes de como não poluir a água.

( Texto originalmente publicado em 29/07/2011- O que fazer para não poluir a água)

No Brasil, 13 milhões de pessoas não têm banheiro; menos de 44% da população têm coleta de esgoto; menos de um terço do esgoto recolhido é tratado; e 5,9 bilhões de litros de esgoto são despejados por dia em rios e lagos nas 81 maiores cidades do país.

São muitos os números que mostram o quanto nós poluímos a água. Por isso, diminuir o consumo de produtos que aumentam essa poluição é fundamental. Veja mais dicas do “Manual de Etiqueta 3.0″.

– Além do óleo de cozinha, também não devem ser despejados no esgoto doméstico inseticidas, pesticidas, tintas à base de óleo, solvente e fluidos de automóveis no esgoto doméstico;

agua

– Em vez de jogar fora a casca do limão, deixe-a secar e depois use para espantar traças de armários e roupas;

– O vinagre branco pode ser usado para remover ferrugem, mofo, manchas no tapete, sujeira de banheiros e para tirar o cheiro de peixe de utensílios. Mas é preciso diluir o vinagre na água;

– Bicarbonato de sódio é ótimo para limpar forno e para fazer a limpeza geral, já que ele tem ação fungicida;

– Use quantidades menores de produtos de limpeza e higiene. Dê preferência para os biodegradáveis e orgânicos, pois eles são feitos a partir de substâncias naturais;

– Fale para os seus pais comprarem detergentes e sabões em pó com pouco ou nenhum fosfato na fórmula. Essa substância, que é a responsável pela espuma, estimula a proliferação de plantas e algas nos rios, reduzindo a quantidade de oxigênio para os peixes;

– Retire os restos de comida da louça e deixa-a de molho previamente na pia ou numa bacia. Só abra a torneira para enxaguar depois de ensaboar tudo. Isso ajuda a usar menos detergente.

821065_kitchen_sink_1[1] agua

– Remédios e cosméticos devem ser descartados em postos de coleta específicos, para que esses produtos sejam incinerados. Se você não souber de um posto adequado, é melhor jogá-los no lixo do que no esgoto.

– No jardim, prefira plantas nativas, pois elas se adaptam melhor ao ambiente e, logo, exigem menos cuidados e menos consumo de água;

– Não faça da mangueira uma “vassoura hidráulica” na hora de lavar quintal, garagem ou calçada. Se precisar lavar o local, varra e recolha o lixo antes.

02/08
Chegamos ao Podium:3º lugar dos textos mais lidos: O jogo da queimada

E no ranking com o 3º lugar dos textos mais lidos no nosso blog, vamos rever sobre o jogo da queimada e como ela é divertida.

Um jogo simples de brincar, mas que exige estratégia, que desenvolve muitas habilidades físicas e é superdivertido. Assim é a queimada, atividade trabalhada nas aulas de educação física com as turminhas do 2º ao 5º ano.

25743970751_4958ed1388 queimadaNa queimada, os jogadores são divididos em duas equipes. Cada uma ocupa metade de um espaço, separado por uma linha. Quem estiver com a bola em mãos precisa atingir membros do time rival, que só são queimados se a bola tocar alguma parte do corpo deles e cair no chão.

Se eles conseguem agarrá-la, estão salvos. Se são queimados, vão para o fundo do campo adversário. Dali, tentam atingir os oponentes com a bola. Vence a equipe que queimar todos os adversários primeiro.

Por meio desta atividade, os alunos trabalharam tempo de reação, agilidade e velocidade. Eles também melhoraram seu desempenho cardiorrespiratório, a resistência muscular, força e flexibilidade. As fotos da queimada estão no Flickr do Raízes e podem ser vistas clicando aqui.

Como os alimentos chegam em nossa mesa! Confira o 4ºlugar dos textos mais lidos

Você já pensou “de onde vêm os alimentos que comemos?”, “como eles chegam até aqui?”. Em 4º lugar dos textos mais lidos, vamos conferir o caminho que os alimentos fazem para chegar até a nossa mesa.

O professor de história, nos mandou essa dica super legal sobre o assunto.

aliemntosAlguns alimentos industrializados nos dão a informação por meio dos rótulos. Mas, há muitos anos, não existia a industrialização e nossos antepassados precisavam plantar e caçar para se alimentar, além de consumir o que a natureza oferecia, como frutas, sementes e raízes.

À medida que o tempo foi passando, nossos antepassados viram que onde caía uma semente ou um fruto, nascia uma plantinha. A partir dali, eles observaram que poderiam plantar as sementes e um tempo depois colher os seus frutos.

Atualmente essa prática não é mais comum, e quem vive nas grandes cidades não sabe como os alimentos chegam aos supermercados e feiras. As verduras, legumes e frutas costumam ser cultivados longe de nossas casas em grandes plantações, cujo objetivo é produzir para vender. Assim como também acontece com carnes e grãos.

Para que esses alimentos cheguem efetivamente em nossas mesas, é preciso que a produção passe por carretos. Os caminhões que fazem o transporte costumam rodar o país inteiro, já que cada região do Brasil é forte na produção de um alimento.

28/07
A experiência termoquímica-5º lugar dos textos mais lidos

Conferimos em 5º lugar dos mais lidos no blog, duas experiências termoquímicas, onde os alunos conferiram na prática sobre os estudos da transferência do calor em uma reação química.

( Texto originalmente publicado em 08/05/2012- Experiência reação termo química)

Nem sempre é fácil sacar logo de cara as inúmeras fórmulas que temos de aprender na sala de aula, em qualquer disciplina ligada à área de exatas. Nessas horas, nada melhor do que ver como as coisas funcionam na prática.

Pensando nisso, a professora Audrey, de Química, fez duas experiências relacionadas à termoquímica na aula desta terça-feira (8) com o pessoal do 2º ano. Ela contou aqui para o blog que, assim, fica mais fácil de entender os estudos sobre transferência de calor em uma reação química, tão falados em sala de aula.

Na primeira prática, os alunos colocaram o sulfato de cobre pentahidratado, uma substância de cor azul, no tubo de ensaio e o aqueceram. Eles puderam observar que, graças ao calor, a água presente no sulfato evaporou e que houve uma mudança na cor da substância.

termoquimica

Dessa reação foi formado outro produto, o sulfato de cobre anidro. A professora Audrey explicou que isso aconteceu devido à reação endotérmica, quando ocorre a absorção de calor.

Na segunda prática, os alunos observaram o processo inverso, por meio da reação exotérmica. Eles adicionaram água ao sulfato de cobre anidro, provocando uma reação que liberou energia e tornou o tubo de ensaio extremamente quente, evidenciando a energia perdida.

qumica termoquimica

26/07
Feliz Dia dos Avós!

Post_Dia dos Avos_Raizes Serra-01 (2)

Avós!

Guardam no olhar e na pele as marcas de toda uma vida. Guardam em si uma infinidade de conhecimentos que nos transmitem, é com eles que aprendemos. Aprenderam a lidar com as “feridas” de uma forma admirável. Dão-se intensamente em cada dia… Devolver-lhes o amor é o mínimo que podemos fazer.

Parabéns a todos os avós!

6º lugar-A química por trás do filme” O óleo de Lorenzo”

Vamos conferir em 7º lugar dos textos mais lidos a relação entre a química e o amor entre uma família, que desenvolvem uma fórmula para salvar a vida do filho.

( Texto originalmente publicado em 06/05/2014- A química por trás do filme “O óleo de Lorenzo”)

oleo de lorenzo

Há casos da ciência que são tão interessantes que acabam virando filme. É o caso da história dos italianos Augusto e Michaela Odone, que desenvolveram uma mistura dos ácidos oleico e erúcico para tratar a adrenoleucodistrofia (ALD), doença que atingiu o filho do casal, Lorenzo Odone.

A ALD é uma doença que afeta o sistema nervoso e provoca a perda de mielina. Sem esta substância, o doente para de se mover, ouvir, falar e respirar. Lorenzo foi diagnosticado aos 5 anos e os médicos informaram os pais que ele viveria no máximo por mais três anos.

No entanto, o casal correu atrás de informações e acabou por desenvolver o óleo que proporcionou ao filho viver até os 30 anos. A história toda vocês podem conhecer assistindo ao filme “O Óleo de Lorenzo”, indicação muito bacana do professor Junior.

Além de contar uma história real muito bonita, o filme mostra como ocorre o processo de pesquisa científica, explica como ocorre a doença, seu processo bioquímico e como os pais chegaram até a substância.