07/08
Game para aprender filosofia

Filosofia pode ser um assunto que assusta muita gente. Só falar em “Sócrates” ou “existencialismo” e o pessoal já corre, ainda mais quando se lembra de livros imensos daquela linguagem pouco acessível. Procurando ensinar filosofia de uma maneira divertida, a Superinteressante lançou um game que promete divertir muita gente (principalmente os amantes de jogos consagrados de luta como Street Fighter e Mortal Kombat). Trata-se do Filosofighters.

– Jogue o Filosofighters no site da Super!

game filosofiaA ideia é simples: nove filósofos emblemáticos da história, como Karl Marx, Jean-Paul Sartre e Nicolau Maquiavel, duelam em uma luta que os idealizadores chamam de “batalha de ideias”. O mais legal do conteúdo é que cada personagem tem dois golpes especiais, que remetem aos conceitos trabalhados em seus estudos.

Friedrich Nietzsche, por exemplo, o famoso filósofo alemão que tratou de valores e moralidade em seus estudos sobre o ser humano, tem dois golpes especiais: “Deus está morto” e “O Super-Homem”.

“Deus está morto” faz referência à fala de Nietzsche em “Assim Falou Zaratustra”. Para ele, a crença em Deus não tem sentido e que, sem religião, o homem pode conhecer o valor deste mundo e assumir sua própria liberdade.

Então? Vamos embarcar nessa?

Que comecem os jogos!

O campeão 1º lugar dos textos mais lidos: Aprendendo a fazer o jogo cara a cara

O campeão entre os textos mais lidos do nosso blog, vamos aprender e nos divertir com o jogo cara a cara.

Alguns jogos clássicos são tão divertidos que voltam a ser fabricados, mesmo que com uma cara diferente.

Um deles é o Cara a Cara, jogo de adivinhação muito bacana para treinar a capacidade de dedução e memória dos jogadores, principalmente de crianças a partir dos 6 anos.

Imagem 010 cara a cara

Nesse joguinho de dupla, é preciso adivinhar de quem é a cara que o adversário esconde. A Priscila Okino, do grupo Muriquinhos – que faz experiências e pesquisas de brinquedos e brincadeiras ecológicas –, ensinou lá no blog do grupo como fazer esse jogo em casa.

Como a gente sabe que os alunos do Raízes adoram fazer seus próprios brinquedos reaproveitando materiais – tanto que nesta sexta-feira alguns trabalhos feitos com a prô Jéssica, da Educação Ambiental, estão expostos na escola – aqui vai mais uma ideia de diversão.

Vocês vão precisar de duas caixas de papelão de 30 cm x 20 cm, facilmente encontradas em supermercados; duas caixinhas de sabonete; 40 tampinhas de suco de caixinha; cola instantânea; papel-cartão; tinta guache; pincel; tesoura sem ponta; 40 imagens pequenas de “pessoinhas” e 40 imagens grandes (elas devem ser iguais).

Primeiro vocês terão de pintar as caixas e colar as figurinhas pequenas nas tampinhas (20 para cada jogador). Depois, colem as tampinhas em cada caixa de papelão e numerem os personagens na abertura de cada tampinha (de 1 a 20, sem repetir). Em seguida, recortem o papel-cartão, formando 20 cartas. Em cada uma delas, colem uma das figuras grandes e escrevam o mesmo número que está na figura igual pequena.

cara_a_cara

Para brincar, cada jogador sorteia um cartão grande. Depois, os dois se alternam com perguntas sobre como é a “pessoinha” do outro, por exemplo: “usa óculos?”, “tem barba?”, “é mulher?”. Só vale responder “sim” ou “não” e ganha quem descobrir primeiro o personagem do outro.

O passo a passo vocês também podem ver no blog do Muriquinhos, neste link aqui, onde há fotos mostrando cada etapa, ou no site da Folhinha, neste link aqui, por meio de uma animação bem bacana.

Como os alimentos chegam em nossa mesa! Confira o 4ºlugar dos textos mais lidos

Você já pensou “de onde vêm os alimentos que comemos?”, “como eles chegam até aqui?”. Em 4º lugar dos textos mais lidos, vamos conferir o caminho que os alimentos fazem para chegar até a nossa mesa.

O professor de história, nos mandou essa dica super legal sobre o assunto.

aliemntosAlguns alimentos industrializados nos dão a informação por meio dos rótulos. Mas, há muitos anos, não existia a industrialização e nossos antepassados precisavam plantar e caçar para se alimentar, além de consumir o que a natureza oferecia, como frutas, sementes e raízes.

À medida que o tempo foi passando, nossos antepassados viram que onde caía uma semente ou um fruto, nascia uma plantinha. A partir dali, eles observaram que poderiam plantar as sementes e um tempo depois colher os seus frutos.

Atualmente essa prática não é mais comum, e quem vive nas grandes cidades não sabe como os alimentos chegam aos supermercados e feiras. As verduras, legumes e frutas costumam ser cultivados longe de nossas casas em grandes plantações, cujo objetivo é produzir para vender. Assim como também acontece com carnes e grãos.

Para que esses alimentos cheguem efetivamente em nossas mesas, é preciso que a produção passe por carretos. Os caminhões que fazem o transporte costumam rodar o país inteiro, já que cada região do Brasil é forte na produção de um alimento.

26/07
Feliz Dia dos Avós!

Post_Dia dos Avos_Raizes Serra-01 (2)

Avós!

Guardam no olhar e na pele as marcas de toda uma vida. Guardam em si uma infinidade de conhecimentos que nos transmitem, é com eles que aprendemos. Aprenderam a lidar com as “feridas” de uma forma admirável. Dão-se intensamente em cada dia… Devolver-lhes o amor é o mínimo que podemos fazer.

Parabéns a todos os avós!