06/10
Falando sobre Música

IMG_9646Vamos conhecer um pouco sobre um amor a parte da nossa aluna do 2º ano Luana: A música

Fizemos uma entrevista com ela para conhecê-la melhor:Vamos conferir?

1. Como se interessou pela música?

R: Com um dos meus tios, que cantava comigo desde criança. Tudo foi sempre muito baseado em ” quem canta, seus males espanta!”

2. Como foi no começo?

R: Imitando a Xuxa, tentando tocar o violão totalmente errado. Acho que tudo começa quando uma criança estimula sua criatividade.

3. Quais são os resultados e benefícios conquistados?

R: Me tornou mais aberta às pessoas e trabalhou muito a minha timidez.

4. Como é seu dia a dia?

R: Bem normal, escola e amigos.A única coisa que pode mudar é a seriedade que eu levo em cantar no chuveiro, ou a necessidade de estar sempre com um fone no ouvido  e música no carro.

5. Como cuida da alimentação?

R:Bem longe da dieta. Chocolate e salgadinhos fazem parte do meu dia. Mas os dois litros de água ajudam na hora de cantar.

6. O que a música mudou na sua vida?

R: Essa amizade com a música me acalma e me ajuda a sintonizar com o mundo.

7. Quanto tempo já canta?

R: Desde pequena, como uma diversão. Mas a voz começou a melhorar no ano em que eu fiz aulas,uns 4 anos atrás.

8. Pretende transformar isso em profissão ou algo do tipo?

R: Não. Mas eu considerei algum tempo, mas se eu levasse a esse ponto eu perderia a paixão, pretendo cursar Direito e cantar escondido, quando ficar estressada com o trabalho.

9. Qual a dica que dá para quem quer começar?

R: Tenha sentimento. É bem mais fácil começar quando você tem uma conexão com a música. Eu sempre tento cantar uma canção que me faça sentir algo, porque se não, nem vale a pena.

10. O que sua família disse sobre isso?

R:Eles adoram, a única crítica é sobre eu não “tirar” dinheiro com isso, mas tenho um grande apoio.

02/06
Entrevista com o Rafael, do 1º ano

2017-06-01-PHOTO-00000289

Hoje é dia de batermos um papo com o Rafael, do 1º ano, sobre capoeira.

Veja a entrevista:

Colégio Raízes: Como começou a jogar capoeira?
Rafael: Meu pai é Mestre, então ele sempre jogou e sempre quis que eu jogasse.

Colégio Raízes: Desde quando pratica?
Rafael: Desde os meus 2 anos.

Colégio Raízes: Como a capoeira ajuda no seu dia a dia?
Rafael: Ela me ajuda a ter disciplina e não usar para agredir as pessoas.

Colégio Raízes: O que mais gosta na capoeira?
Rafael: O fato de ela me educar e também me levar para viajar e conhecer o mundo.

Colégio Raízes: Explique um pouco o que é a capoeira?
Rafael: Capoeira é uma luta disfarçada de dança, porque naquela época os escravos não podiam fazer lutas, então eles fingiam que estavam dançando e quando o senhor do engenho chegava perto eles o atacavam.

Colégio Raízes: Qual dica dá para quem quer começar a jogar?
Rafael: Não vá para a capoeira com o intuito de machucar alguém, porque não é isso que ela propõe.

19/05
Entrevista com a Jamille, do 1º ano

IMG-20170515-WA0000

O Raízes está cheio de alunos talentosos. Tem o pessoal do esporte, das artes e por aí vai. Hoje é dia de vocês descobrirem um pouco mais sobre a Jamille, do 1º ano, que dança num grupo de Hip-Hop.

Veja a entrevista que fizemos com ela:

Colégio Raízes: Como você conheceu a dança e o que você pratica?
Jamille: Conheci assistindo umas aulas em uma academia, e atualmente faço hip-hop e waaking. Eu danço e tenho aulas durante a semana. Temos também ensaios intensivos extras durante o fim de semana, quando as competições estão perto.

Colégio Raízes: O que você mais gosta no hip-hop?
Jamillle: Gosto muito de aprender sobre o ritmo e sua junção aos passos de dança. E também é muito gratificante superar os desafios de novas coreografias e depois receber os aplausos do público.

Colégio Raízes: Você participa de algum grupo?
Jamille: Sim, do grupo Intermediário

Colégio Raízes: Quais são suas referências ou pessoas que te inspiram?
Jamillle: Eu me inspiro em meu próprio professor, o Marcio Alves, que é nosso querido “paireógrafo” (pai e coreógrafo), e também no meu amigo Freddy Shigueyama, por arrasar na dança e ser sempre o companheiro que nos ajuda nos ensaios.

Colégio Raízes: Como o hip-hop e o waacking influenciam o seu dia a dia?
Jamille: Para mim, as principais influências são a disciplina, o compromisso com o grupo em geral e a capacidade de trabalhar em equipe.

Colégio Raízes: Deixe uma dica para quem está lendo e quer entender um pouco melhor sobre o hip-hop.
Jamille: Para quem quer começar a praticar danças urbanas é importante procurar uma boa academia, com um bom professor e depois focar e treinar muito, aperfeiçoar as técnicas da modalidade… e o mais importante é se divertir com o que está fazendo.

13/05
Português falado e escrito

Dizem que a língua portuguesa possui uma das gramáticas mais difíceis de aprender (é que ela é cheia de regrinhas e exceções, não é?), ainda mais quando há diferenças entre a língua falada e escrita.

Aprender o português correto é imprescindível, principalmente para vocês que estão se preparando para o vestibular, porém, é importante também conhecer as particularidades da oralidade da língua, ou seja, a maneira como nós falamos.

Nesse sentido, a  professora Vera deu uma dica muito bacana: uma entrevista que o professor Pasquale Cipro Neto deu ao programa Agora é Tarde em dezembro de 2013. Além de falar sobre como usar corretamente o português, ele comentou que não existe um português “errado” e sim linguagens mal adequadas.

“O professor Pasquale conseguiu levar a gramática para os programas de televisão e, nesta entrevista, dentre outros assuntos, ele destaca o Acordo Ortográfico”, ressalta a professora Vera. A entrevista completa você podem ver aqui no blog.