22/10
Eu sou Malala

malalaO livro: Eu sou Malala, da Companhia das Letras, é a indicação de leitura da prô de gramática para os alunos do Ensino Médio.A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã, é tema de reflexão e análise nas aulas.

Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação.

Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria.

Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz.

Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens.

O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã.

Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente.

“Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.

17/09
A Língua de Eulália

a lingua eulaliaPara auxiliar os alunos a compreenderem a questão da variação linguística, a Prô de gramática deu uma importante dica de leitura, que fará com que os alunos ampliem a sua biblioteca cultural e estimulem uma visão crítica sobre as diferenças de linguagem.

Nossa tradição educacional sempre negou a existência de uma pluralidade de normas linguísticas dentro do universo da língua portuguesa; a própria escola não reconhece que a norma padrão culta é apenas uma das muitas variedades possíveis no uso do português e rejeita de forma intolerante qualquer manifestação linguística diferente, tratando muitas vezes os alunos como ‘deficientes linguísticos’.

Marcos Bagno argumenta que falar diferente não é falar errado e o que pode parecer erro no português não-padrão tem uma explicação lógica, científica (linguística, histórica, sociológica, psicológica).

Para explicar essa problemática, o autor reúne então n’A LÍNGUA DE EULÁLIA as universitárias Vera, Sílvia e a esperta Emília, que vão passar as férias na chácara da professora Irene.

Sempre muito dedicada, Irene se reúne todos os dias com as três professoras do curso primário, transformando suas férias numa espécie de atualização pedagógica, em que as ‘alunas’ reciclam seus conhecimentos linguísticos.

Mais do que isso, Irene acaba criando um apoio para que as ‘meninas’ passem a encarar de uma nova maneira as variedades não-padrão da língua portuguesa.

A novela flui em diálogos deliciosamente informativos. A LÍNGUA DE EULÁLIA trata a sociolinguística como ela deve ser tratada: com seriedade, mas sem sisudez.

17/01
11º Lugar- Jogo das Classes Gramaticais

Vamos conferir o 11º lugar com um jogo muito divertido para aprender gramática.

O português é uma língua cheia de regrinhas, não é mesmo?

Para entendermos cada uma delas, nada melhor do que uma atividade que seja dinâmica e divertida.

jogoA prô Marluce propôs aos alunos a atividade da Caixa de Palavras para trabalhar as classes gramaticais.

No nosso idioma, temos dez classes gramaticais e elas servem para apontar a função ou o sentido de cada palavra.

Durante a atividade, os alunos tiraram palavras da caixa para formar frases e depois identificar a classe de cada uma delas. Foi muito bacana!

As fotos da atividade já estão no Flickr do Raízes. É só clicar aqui para ver as imagens.

08/11
Jogo da Revisão

IMG_0035Para revisar os conteúdos estudados no inicio  do 4°Bimestre, a professora desenvolveu com os alunos jogos gramaticais, onde além de se divertirem e revisarem o conteúdo, puderam também tirar suas dúvidas.

IMG_0034No 1°ano fizeram um QUIZ para relembrar a formação das palavras. Já no 2°ano completaram o poema para relembrar os advérbios e as preposições estudadas. 

E no 3°ano fizeram uma TRILHA GIGANTE para relembrar a concordância a regência verbal e nominal .

Uma forma criativa e dinâmica de fazer uma revisão.IMG_0029

12/05
Exercitando a criatividade na aula de gramática

IMG_0008

O 2º ano precisou colocar a criatividade em prática na aula de gramática. A atividade foi para melhorar a produção a escrita e a expressão oral da turma.

Eles tiveram de criar uma charge, paródia ou poesia, colocando em prática o conteúdo estudado anteriormente, cujo assunto foi substantivo e adjetivo.

A sala foi dividida em grupo e, ao final, cada um compartilhou a criação com os demais alunos.

Além da atividade em si, a aula foi interessante porque permitiu uma revisão de outros conceitos ligados ao assunto e à fixação do conteúdo.

IMG_0001

20/02
Gramática não é apenas um conjunto de regras

DSC07000

Atividades em grupo sempre resultam em uma aula mais dinâmica e divertida. E foi justamente o que rolou na aula de gramática, com a professora Alba.

O 1º ano foi dividido em grupos e eles tiveram de discutir sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas.

O bacana é que a turma chegou à conclusão de que a gramática não é apenas um conjunto de regras para determinar o que é certo ou errado.

Eles entenderam melhor o funcionamento da língua e como ela pode ser utilizada de uma forma mais ampla.

DSC06993 DSC06994 DSC06997 DSC07002

11/03
Seminário “Minha língua, meu orgulho”

Do Oiapoque ao Chuí, falamos todos a mesma língua, porém com algumas diferenças em relação à oralidade, certo?

Há muitos sotaques e muitas expressões diferentes espalhados pelos estados brasileiros. Para mostrar as variantes linguísticas existentes na língua portuguesa, a professora Aline propôs aos alunos do 1º ano o seminário “Minha língua, meu orgulho”.

A galera mostrou por meio de cartazes e também de uma apresentação multimídia quais são as diferenças entre a oralidade (informal) e a escrita (formal) da língua.

O bacana é que esta atividade também orientou a turma quanto ao preconceito linguístico existente e como evitá-lo. Afinal, as diferenças na oralidade só deixam a nossa língua mais rica, certo?

As fotos da atividade estão no Flickr do Raízes e podem ser vistas neste link aqui.

15/02
Gramática musical

A galera do 1º ano fez um estudo sobre as variações linguísticas com base na música “Zaluzejo”, da banda O Teatro Mágico.

A atividade foi proposta pela professora Aline e os alunos ficaram bem animados. Querem ver todas as fotos? Então é só clicar aqui e ir para o Flickr do Raízes.

27/04
Dica do professor: “A maior flor do mundo”

A professora Vera, de gramática, nos indicou um vídeo superbacana sobre um conto infantil chamado “A maior flor do mundo”, de José Saramago.

Transformando-se em personagem, o autor nos conta que uma vez teve uma ideia para um livro infantil, inventou uma história sobre um menino que faz nascer a maior flor do mundo.

A história serve muito bem para adolescentes e adultos, pois leva à reflexão sobre o modo de viver. Vale a pena assistir o vídeo. É só apertar o play.

 

 

13/03
Nossa língua portuguesa

A professora Vera, de gramática e redação, enviou uma dica muito interessante para o blog: um vídeo sobre a origem da Língua Portuguesa.

É um documentário narrado pela Fernanda Montenegro com o relato do nascimento e origem da língua e também sobre a sua utilização. Este vídeo, inclusive, é exibido no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.

Conheça um pouco mais sobre a Língua Portuguesa:

)