02/06
Recuperação paralela

Está com dificuldades em química? Seus problemas acabaram!

Vai rolar uma recuperação paralela para todo mundo tirar as dúvidas da disciplina.

Será na próxima segunda-feira, dia 5, das 14 às 15h30.

Separe suas dúvidas e aproveite para resolvê-las!!!!

03/05
Experiência com misturas homogêneas e heterogêneas

DSC07361

As aulas no laboratório sempre são super produtivas e interessantes. Ter a oportunidade de observar reações ou fazer experimentos ajuda muito na compreensão do conteúdo aprendido em sala de aula.

O professor levou o 1º ano para o laboratório justamente para mostrar na prática como funciona a identificação de misturas homogêneas e heterogêneas.

Para fazer o experimento, a turma misturou uma série de substâncias, como água, óleo, sal, sal grosso e areia.

Eles descobriram que as misturas homogêneas apresentam uma única fase, enquanto a heterogênea pode apresentar duas ou mais fases.

Alguns exemplos de misturas homogêneas: as águas salgadas e o ar, por exemplo, apresentam uma única fase. A água do mar contém, além de água, uma quantidade enorme de sais minerais. O ar é uma mistura de nitrogênio e oxigênio, que apresenta aspecto homogêneo.

Já misturas heterogêneas podem ser água e óleo ou granito. A primeira não se mistura, por isso é um sistema que apresenta duas fases: cada uma composta por uma substância diferente.

O granito é uma pedra cuja composição é feita por uma mistura heterogênea de quartzo, feldspato e mica. É possível percebê-las pela diferença de cor de cada pedra.

DSC07365

24/04
Recuperação paralela de Química

Chegou a vez de quem está com dúvidas em Química resolver este problema.

Vai rolar recuperação paralela da disciplina na próxima quinta-feira, dia 27, a partir das 14 horas.

Aproveitem para tirar todas as dúvidas!

22/03
Experimento: as bactérias presentes na saliva

20170224_075228

O 2º ano foi para o laboratório para um experimento muito interessante: detectar quais bactérias estão presentes na saliva humana.

A experiência foi a seguinte: primeiro foi coletada uma amostra da saliva antes de usar um antisséptico bucal. Depois da assepsia bucal, foi coletada uma nova amostra.

Tudo foi colocado numa cultura com gelatina incolor para que os resultados pudessem ser observados e registrados.

20170224_075435 20170224_075644

Eles foram bem variados, já que algumas culturas proliferaram mais bactérias do que outras. Mas ninguém precisa entrar em pânico: a presença de algumas bactérias na saliva é normal.

Na verdade, a turma conseguiu identificar a presença de outros micro-organismos, já que a saliva teve contato também com o ar.

Além de aprender na prática, a experiência demonstrou o quanto é importante cuidar corretamente da higiene bucal.

20170224_075853 20170303_124427 20170303_124452

15/03
Experiência com sal de cozinha

DSC07151

A turma do 1º ano participou de uma experiência muito interessante no laboratório. Eles descobriram na prática como o sal pode reduzir a temperatura da água.

A experiência foi a seguinte: num copo com água e gelo, a temperatura era de 0ºC, no entanto, conforme adicionou-se cloreto de sódio (sal de cozinha) o líquido começou a ficar ainda mais gelado, chegando aos incríveis 17ºC negativos!

A temperatura foi tão baixa, que a turma mergulhou nesta solução um tubo de ensaio com óleo de cozinha, que acabou congelando.

Muito interessante, não?

DSC07148 DSC07152

DSC07157

03/02
Vice-campeão do Top 30 mais lidos

Em vários momentos do Top 30 mais lidos apareceram experiências química realizadas em nossos laboratórios. E o segundo lugar é justamente sobre isso.

Experiência termoquímica
(publicado originalmente em 8 de maio de 2012)

Nem sempre é fácil sacar logo de cara as inúmeras fórmulas que temos de aprender na sala de aula, em qualquer disciplina ligada à área de exatas. Nessas horas, nada melhor do que ver como as coisas funcionam na prática.

Pensando nisso, a professora Audrey, de Química, fez duas experiências relacionadas à termoquímica na aula desta terça-feira (8) com o pessoal do 2º ano. Ela contou aqui para o blog que, assim, fica mais fácil de entender os estudos sobre transferência de calor em uma reação química, tão falados em sala de aula.

Na primeira prática, os alunos colocaram o sulfato de cobre pentahidratado, uma substância de cor azul, no tubo de ensaio e o aqueceram. Eles puderam observar que, graças ao calor, a água presente no sulfato evaporou e que houve uma mudança na cor da substância.

Dessa reação foi formado outro produto, o sulfato de cobre anidro. A professora Audrey explicou que isso aconteceu devido à reação endotérmica, quando ocorre a absorção de calor.

Na segunda prática, os alunos observaram o processo inverso, por meio da reação exotérmica. Eles adicionaram água ao sulfato de cobre anidro, provocando uma reação que liberou energia e tornou o tubo de ensaio extremamente quente, evidenciando a energia perdida.

As fotos da turma e das etapas das duas experiências estão lá no Flickr do Raízes.

23/01
Experimento de química no Top 30 mais lidos

Você sabia que a cola de caseína foi utilizada na Primeira Guerra Mundial? Quer saber o que é caseína? Tudo isso está no 11º lugar do nosso Top 30 posts mais lidos da história do blog.

Experimento químico com o 9º ano
(publicado originalmente em 9 de outubro de 2012)

A professora Audrey, de Química, deu uma aula investigativa muito bacana na segunda-feira (8) para o 9º ano. Por meio de um experimento com leite, ela propôs um exercício para que os alunos pudessem refletir de forma crítica e avaliar possíveis explicações para a experiência.

Foram utilizados na experiência leite, vinagre de limão e bicarbonato de sódio. A principal proteína do leite é a caseína, um polímero natural usado para a fabricação de adesivos à base de água. Vocês sabiam que a cola de caseína foi usada na Primeira Guerra Mundial para a construção de aviões com estrutura de madeira?

Quando adicionado bicarbonato de sódio à proteína, é formado o caseinato de sódio, que tem propriedades adesivas, além de eliminar resíduos do ácido. O resultado da experiência proposta pela professora Audrey foi justamente uma cola muito eficaz para colar papel.

Vocês podem ver os procedimentos da experiência, o material utilizado e outras informações clicando aqui. Já as fotos do experimento estão no Flickr do Raízes.

19/01
A química no filme O Óleo de Lorenzo

O assunto do 13º post mais lido da história do blog é sobre um filme bastante conhecido, O Óleo de Lorenzo. Quer saber o que a química tem a ver com isso?

A química por trás do filme “O Óleo de Lorenzo”
(publicado originalmente em 6 de maio de 2014)

Há casos da ciência que são tão interessantes que acabam virando filme. É o caso da história dos italianos Augusto e Michaela Odone, que desenvolveram uma mistura dos ácidos oléico e erúcico para tratar a adrenoleucodistrofia (ALD), doença que atingiu o filho do casal, Lorenzo Odone.

A ALD é uma doença que afeta o sistema nervoso e provoca a perda de mielina. Sem esta substância, o doente para de se mover, ouvir, falar e respirar. Lorenzo foi diagnosticado aos 5 anos e os médicos informaram os pais que ele viveria no máximo por mais três anos.

No entanto, o casal correu atrás de informações e acabou por desenvolver o óleo que proporcionou ao filho viver até os 30 anos. A história toda vocês podem conhecer assistindo ao filme “O Óleo de Lorenzo”, indicação muito bacana do professor Junior.

Além de contar uma história real muito bonita, o filme mostra como ocorre o processo de pesquisa científica, explica como ocorre a doença, seu processo bioquímico e como os pais chegaram até a substância. Vocês podem assistir ao filme aqui no blog:

>

11/01
A cinética química

Vocês sabem para que serve a cinética química? É exatamente no 19º post do nosso Top30 que está a resposta!

Para que serve a cinética química?
(publicado originalmente em 18 de maio de 2012)

A turma do 2º ano fez mais uma experiência com a professora Audrey, de Química, na terça-feira (15). Com comprimidos antiácidos efervescentes, vinagre, bicarbonato de sódio e água, a galera aprendeu como alguns fatores influenciam na velocidade das reações químicas, como temperatura, estado físico, superfície de contato ou a presença de um catalisador. 

A experiência foi dividida em três etapas. Na primeira, o pessoal estudou como a temperatura pode afetar a rapidez de uma transformação química, observando a reação de um comprimido efervescente na água quente e na água fria.

Na segunda, foi estudado como a superfície de contato pode afetar a rapidez de uma transformação química utilizando os mesmos materiais da primeira etapa, porém, dessa vez os comprimidos foram triturados. Por último, eles observaram a rapidez da transformação química entre hidrogenocarbonato de sódio (bicarbonato de sódio) e vinagre.

A experiência tem relação com a cinética química, que estuda a velocidade das reações de processos químicos e os fatores que as influenciam. Essa área é importante para sabermos com que rapidez um medicamento faz efeito no nosso organismo ou para determinarmos o prazo de validade dos alimentos.

As fotos da experiência estão lá no Flickr do Raízes.

14/10
Hoje é dia de falar sobre química

Entender tudo de matéria, substâncias e compostos. Este é o trabalho do químico, e é esta a profissão que falaremos nesta semana.

Quem opta por estudar química na universidade pode atuar em indústrias químicas, auxiliar no desenvolvimento de novos materiais, além de supervisionar a produção e aplicar testes de qualidade.

Este profissional também pode elaborar projetos de instalações industriais e fazer a manutenção de equipamentos.

Outras opções de carreira para quem opta pela química é a pesquisa ou dar aulas, cujo mercado de trabalho também é bastante interessante.

O curso é focado em quatro áreas da química: orgânica, inorgânica, analítica e físico-química. Os alunos têm aulas teóricas e bastante prática em laboratório.